DR

“Já tive vários animais, muitos dos quais me arrependo, como peixes, tartarugas ou pássaros. O lugar deles não era seguramente na minha casa. Hoje, faço por respeitar todos, mas sem dúvida tenho maior empatia com porcos e cães.

Vivo com a Lurdes, que foi adoptada, e recebo frequentemente a visita do Caju (o filho bastardo do Bilhó, o cão do meu pai), que vive com o meu irmão. São ambos da espécie cão, mas muito diferentes. A Lurdes quer mimo e descanso como uma vaca; já o Caju, cada dia da vida dele é como uma viagem de montanha russa.

Com os meus animais aprendi a tirar mais satisfação das coisas boas. A minha relação com eles é simples e de afectos. Dou-lhes o necessário para que possam celebrar a vida que têm que, na minha opinião, é tão válida como a nossa. É público que sou um defensor da causa animal porque acredito que os direitos não são exclusivos dos humanos. Deve-se lutar por eles, para que sejam respeitados. Gostava de viver numa sociedade que tivesse isso em consideração.

DR

Não acho que a defesa dos direitos dos animais seja uma moda. É uma luta que está no começo, como tantas outras tiveram o seu e conseguiram resultados incríveis nas últimas décadas. Vivemos sim numa época de maior tomada de consciência.

A qualquer pessoa que queira ter um animal aconselho que considere o espaço e o tempo de acordo com as necessidades do Animal em causa. E que lhe dê liberdade para gozar a sua vida. ”

João Manzarra
  • Apresentador
  • 32 anos
  • Natural de Lisboa, onde vive
  • Neste momento está a preparar o próximo programa da SIC Vale Tudo, que voltará à televisão em Setembro.
  • Dedica-se também à sua Balili House – Surf & Yoga Retreat.

 

Depoimento construído a partir de entrevista por email.

Leia também

O animal de Pedro Barroso: Baü

“Nem sempre tive animais. Lembro-me de um animal curioso que recebi de presente de uma ami…