A GNR está a investigar uma publicação no OLX, na qual um utilizador estaria a vender um lince-ibérico, alegadamente capturado na vila de Alcoutim, em Faro, com recurso a uma armadilha para raposas.

O preço, “negociável”, estava estabelecido nos 1500 euros. “O animal está muito bravo mas com o tempo irá ficar mais manso. Estou a vender porque não quero ser apanhado com ele em casa”, lia-se no anúncio publicado a 11 de Dezembro e que, entretanto, foi retirado.

Segundo o que tenente do Comando Territorial de Faro da GNR, Samuel Afonso, disse ao Pet, o anúncio “está a ser investigado” e ainda não se sabe quem o publicou, já que, apesar de estar assinado, tudo indica que terá sido “usado um nome falso”.

“Ainda não conseguimos apurar a veracidade do anúncio”, afirma, acrescentando que a fotografia que ilustra o suposto lince-ibérico dentro de uma gaiola “terá sido retirada de uma reportagem da TVI e, portanto, não prova esta situação concreta”.

Em Agosto último, uma fêmea desta espécie protegida nascida em 2016 e que tinha sido libertada no núcleo populacional de lince-ibérico do Vale do Guadiana foi dada como desaparecida. A coleira com emissor rádio, usada para identificar os linces reintroduzidos, foi encontrada no final de Setembro, em Alcoutim. A fonte da GNR disse que Nara, como se chamava a fêmea de lince-ibérico, ainda não tinha sido encontrada. “Mas ainda não sabemos se os dois casos podem estar relacionados”, declarou o tenente.

Já na página do Facebook da ANIMAL, organização pelos direitos dos animais que denunciou a situação, a associação diz acreditar que, dados os “detalhes geográficos”, os dois casos “estarão totalmente relacionados”.

Leia também

Já 40 animais têm autorização para entrar no centro comercial da Maia (em carrinhos)

Desde que o Mira Maia Shopping criou o programa PetCare, já são 40 os animais de companhia…