Thierry Correia, Departamento Comunicação Científica da Royal Canin Portugal

Ter um animal de estimação deve ser uma escolha em assumir a responsabilidade de cuidar de um outro ser vivo. A responsabilidade de lhe dar atenção, amor, cuidados de saúde, alimentação, higiene (tanto do animal como do seu ambiente), educação e prática de exercício, bem como um local seguro para ficar enquanto o seu tutor está fora e/ou em viagem, não deve ser tomada “de ânimo leve”.

Esta responsabilidade para com o animal de estimação tem de ser assumida durante toda a vida do animal. Mas este não deve ser um peso negativo, muito pelo contrário, pois ter (e cuidar de) um animal de estimação deve ser encarado como um privilégio que beneficia tanto os tutores como os animais.

Nas últimas décadas têm sido realizados muitos estudos sobre a relação que se estabeleceu entre os seres humanos e os animais, especialmente os de companhia. Entidades como o Waltham Center for Pet Nutrition, localizado em Leicestershire, no Reino Unido, e com mais de 50 anos de experiência, e o Center for the Animal-Human Bond, da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, bem como inúmeras universidades dos cinco continentes, realizaram estudos sobre este tema. A conclusão é comum: conviver com um animal de estimação traz benefícios para a saúde do corpo e da mente.

O abandono de animais de estimação, além de proibido por lei, é uma irresponsabilidade perante a sociedade. No entanto, milhões de gatos e cães são abandonados todos os anos, algo que é urgente combater.

Ao ponderares adoptar ou comprar um animal de estimação deves, antes de mais, certificar-te de que não és alérgico aos pêlos do animal, que tens estabilidade financeira para lhe dar todos os cuidados de saúde e alimentação adequada, que a tua casa tem todas as condições para que ele tenha uma vida feliz, que tem espaço para correr e brincar que tens tempo para o levares a passear e ainda um espaço e uma companhia para o deixares quando estás fora.

Assim que tomares a decisão de partilhar a tua vida com um animal de estimação, deves marcar uma primeira visita ao veterinário, onde deverás tratar de todos os cuidados médicos, prevenção e identificação e onde te poderás aconselhar sobre a alimentação mais adequada para as especificidades e necessidades próprias do teu animal.

Um animal de estimação é um ser vivo, não é um objecto ou um brinquedo que se oferece como presente e de que os novos tutores se esquecem ou abandonam quando não têm disponibilidade.

Leia também

E se fossem animais a dizê-lo?

Começaram por ser só cães, mas depois todos os animais tinham algo a dizer. O bisonte que …