Com o intuito de proibir os testes cosméticos em animais a nível global, a The Body Shop e a Cruelty Free International juntaram-se na quarta-feira, em Nova Iorque, junto à sede das Nações Unidas, para o primeiro protesto animal do mundo. Ou seja, a acompanhar a marca e a associação de defesa dos animais, estiveram oito cães de raças diferentes.

Para apoiar a campanha Forever Against Animal Testing, os animais viajaram até Nova Iorque e saíram à rua com bandanas e cartazes em miniatura, onde se podia ler “Ban animal testing”, em português “Proíbam os testes em animais”.

O protesto teve como principal objectivo alertar os consumidores para o facto de 80% dos países ainda não terem leis que proíbam testes em animais para fins cosméticos. Embora a União Europeia já tenha banido esta prática há quase cinco anos, esta ainda se reflecte em cerca de 500 mil animais por ano, diz a Body Shop em comunicado.

Além dos amigos de quatro patas, esta iniciativa contou também com o apoio de Elias Friedman, fotógrafo da The Dogist, que já apoiou esta campanha no Canadá. “Os cães que protestam representam todos os animais e lembram-nos a razão pela qual os testes de cosméticos em animais devem ser banidos de uma vez por todas”, justificou.

Andrew Kelly/AP Images for the Body Shop

A campanha pretende ainda incentivar a adesão a uma petição que conta já com 4,1 milhões de assinaturas. Quando chegar aos oito milhões, a The Body Shop e a Cruelty Free International irão apresentá-la às Nações Unidas para se criar uma convenção internacional que proíba este tipo de testes, protegendo, assim, milhões de animais em todo o mundo. Na semana passada, as organizações reuniram-se com alguns membros da ONU para discutir o tema.

“Na The Body Shop acreditamos apaixonadamente no bem-estar dos animais e que estes não devem ser usados para testes cosméticos. Organizamos o nosso protesto animal com cães, pois eles são um símbolo poderoso para nós ao longo de nossa campanha Forever Against Animal Testing, representando a relação que temos com os animais e ligando os nossos apoiantes”, explicou Jessie Macneil-Brown, uma das responsáveis pelas campanhas mundiais da empresa internacional de cosméticos, no mesmo comunicado.

A dirigente acrescentou que estão a pedir o apoio de todas as pessoas, empresas e governos que queiram participar. “O protesto de hoje envia uma mensagem forte aos consumidores e marcas de todo o mundo. Queremos ver todas as empresas que estão contra testes em animais a incentivar os seus clientes a fazer o mesmo”, afirmou Michelle Thew, CEO da Cruelty Free International, uma das organizações de protecção de animais mais antigas do mundo.

No evento esteve ainda presente Louboutina, um cão que se tornou num influencer e cuja conta de Instagram conta já com 197 mil seguidores. A campanha está activa desde Junho de 2017 e Portugal já recolheu cerca de 50 mil assinaturas.

Leia também

E se fossem animais a dizê-lo?

Começaram por ser só cães, mas depois todos os animais tinham algo a dizer. O bisonte que …