É este o tipo de desenhos que Ana Rafaela, 22 anos, mais gosta de fazer – ainda que só agora tenha “a coragem de os publicar”. Ganhou-a com um leão que marca o início de uma série, partilhada no Instagram, em que os animais imperam. Seguiram-se um panda, uma águia, um coala, um elefante, um veado, um gato, uma tartaruga. Hão-de vir mais, até porque o objectivo é aumentar a colecção e “desenhar o maior número possível” de exemplares, diz, ao P3. Os moldes continuarão os mesmos: um animal sozinho sobre um fundo branco de modo a “salientar a força, o encanto, as particularidades e a liberdade de cada um”.

Entre a cidade e o campo, Ana Rafaela atirava-se ao verde. Desde pequena que a designer, que pisca um olho às artes plásticas, mantém contacto com a natureza, principalmente nas visitas anuais a uma aldeia. E de cada vez que volta não consegue deixar de reparar: por lá, vê cada vez menos animais. É também por isso que cada desenho que faz funciona como um lembrete: “não é só a beleza dos animais que importa”, o fundamental “é pensarmos em formas de ajudar a cuidar deles”.

Leia também

A importância de salvar (mesmo) todas as vítimas de catástrofes

 José Vieira é médico veterinário e membro da Associação Nacional dos Alistados das Formaç…