É um dos cães mais adorados do mundo e agora tem o seu próprio museu. É em Passau, na Alemanha, e celebra o carinho de todos pelo cão salsicha — ou dachshund, no seu nome original. Com mais de 4,5 mil brinquedos e objectos alusivos, o museu abriu portas no início de Abril e promete dar a conhecer aos fãs (e não fãs) este símbolo oficial da Baviera.

“O mundo precisa de um museu de cães salsicha”, refere o co-criador do museu, Josef Küblbeck, à BBC. E para o fazer abandonou o seu emprego como florista —  tal como Oliver Storz, o outro fundador.

O projecto não surgiu de um momento para o outro. Foi uma ideia que levou tempo a ser talhada: uns 25 anos, para ser mais preciso. Com o objectivo de abrirem um museu, os amigos começaram a coleccionar todos os objectos relacionados com o cão salsicha. Um par de décadas depois, ao verificarem o avultado número de artigos armazenados, arriscaram e abriram mesmo o já chamado Dackelmuseum. Os visitantes podem encontrar vários artigos, desde selos, estatuetas, bibelôs e cartazes, inclusive de alguns fãs confessos da raça canina, como Pablo Picasso, Albert Einstein e até Napoleão Bonaparte.

“A popularidade do cão salsicha está a aumentar porque, devido à sua aparência, conquistou os corações de muitas pessoas”, refere Josef Küblbeck à Reuters. Mas já noutros tempos era popular. Na Idade Média o canídeo era usado para afugentar raposas e texugos, de forma a evitar ataques aos patos e galinhas. Agora, longe dessa realidade, o cão continua a fazer as delícias dos seus donos (e não só), que hoje podem visitar o Dackelmuseum em Passau, na Alemanha.

Leia também

Um cão desapareceu depois de um acidente de carro fatal. Três semanas depois, aqui está ele

O vídeo de reencontro (em cima) é, de si, emocionante. Mas torna-se ainda mais comovente q…