Com uma mão segura uma seringa, com a outra cobre o rosto, mas não consegue esconder o ar derrotado. Mais uma vez, a parvovirose levou a melhor.

“Quando se cuida de pacientes infectados pelo parvovírus (…) tanto podes estar a ajudar um animal ainda vivo ou a mover um cadáver. (…) Tudo o que podes fazer é apertar a pata do animal e esperar que isso alivie o seu sofrimento”, conta esta enfermeira veterinária num testemunho emocionante — e gráfico —, publicado há poucos dias na página de Facebook da clínica veterinária de Whyalla, Austrália. O post soma já milhares de interacções e partilhas, bem como centenas de comentários.

Being a veterinary nurse you expect certain things when you rock up to work. You will get to work and deal with patients…

Gepostet von Whyalla Veterinary Clinic am Montag, 9. Juli 2018

A publicação pretende consciencializar para a importância da vacinação contra este vírus extremamente mortal, mas altamente prevenível. O parvovírus afecta os cães, sobretudo os mais jovens, e transmite-se através das fezes, saliva e urina de animais infectados ou, simplesmente, num meio ambiente contaminado.

A descrição do cenário não é fácil de ler. A própria enfermeira confessa que nunca vai conseguir eliminar da memória “as imagens e os cheiros que nunca acreditou que pudessem existir”, nem o sentimento de “abraçar um animal enquanto ele se esvai em sangue e diarreia, até ao último suspiro.”

“Desculpem-nos se as palavras são demasiado cruas e as imagens demasiado confrontadoras, mas para nós esta é a realidade”, acrescenta a enfermeira, referindo que muitas vezes os próprios profissionais são acusados de instigar o medo da parvovirose simplesmente para aumentar o negócio.

A parvovirose é fatal se não for tratada a tempo e de forma intensiva e mesmo que o animal sobreviva pode ficar com mazelas para a vida. A clínica considera, por isso, fundamental educar as pessoas para a importância da vacinação.

Artigo corrigido. A parvovirose não é transmissível para humanos.

Leia também

Como é que as “selfies” podem ajudar a proteger uma espécie ameaçada?

Os quokkas são pequenos marsupiais que habitam algumas ilhas do Oeste australiano, em part…