Mike Wilson e Megan Hanneman tiveram dificuldade em levar o terceiro gato que adoptaram para casa. Não porque ele não quisesse viver com o casal norte-americano, mas porque Bronson, “o gigante gentil”, pesava 15 quilogramas. O que é bastante, tendo em conta que o peso médio para um gato doméstico adulto situa-se entre os 3,5 e os 4,5 quilos. “Ele é muito grande e carrega muito do peso no peito, por isso não há uma maneira óptima de pegar nele sem sentirmos que o estamos a magoar ou a esmagar”, relatam os donos, na conta de Instagram onde documentam a jornada de perda de peso do gato obeso de três anos e que já é seguida por 55 mil utilizadores

Aquando da visita ao abrigo para animais, em Maio último, o objectivo era encontrar um terceiro gato para testar a mobília que Mike e Megan constroem e vendem, de forma a promover a actividade física em gatos domesticados. Mas o plano inicial foi desviado quando conheceram Bronson. Mesmo sabendo que o gato não conseguiria escalar (para já) as tábuas na parede, decidiram que o iam acolher e ajudá-lo a perder 500 gramas por mês. “É muito importante que gatos pesados percam peso devagar”, explicam, num texto publicado no Bored Panda, “porque um dos riscos é desenvolverem a doença do fígado gordo” (acumulação de gordura nas células do fígado, que pode evoluir para cirrose).

Bronson consome, actualmente, 375 calorias por dia, já viu a dieta adaptada três vezes e a rotina de exercício físico outras tantas. No início, os donos brincavam “com ele deitado durante 20 minutos por dia” e carregavam-no “escadas abaixo para que depois ele subisse, até ao sítio favorito dele”. Preocupados com “o excesso de peso para as articulações”, interromperam a subida pelos degraus e, agora, movem o prato da comida pela sala, de forma a obrigá-lo a andar.

Bronson é um “gato de colo” e Mike e Megan arranjaram uma solução para o transportar “confortavelmente” nas pausas entre exercícios físicos: uma almofada, onde ele se deita. São estas “dicas” que o casal vai deixar no blog que estão a criar, com o objectivo de divulgar informação sobre o perigo da obesidade em gatos, bem como explicar formas de a combater.

Tal como nos humanos, a obesidade em cães a gatos tem vindo a aumentar, culpa dos hábitos sedentários e da mudança na dieta, onde são incluídas “rações calóricas e altamente saborosas”, explica Joana Prata, médica veterinária, num artigo publicado no Pet sobre “o transtorno nutricional mais comum nos animais de companhia”, que “afecta 40% dos gatos”. E tal como fizeram os donos de Bronson, só há uma solução para o problema: mudar o estilo de vida dos animais de companhia.

Obesidade nos animais: quais as causas e o que devemos fazer?

Leia também

A vida bucólica de dois gatos à janela

Monika Małek não sabe se gosta “mais de gatos ou de janelas”. Quando vê um focinho a espre…